domingo, 14 de setembro de 2014

Missa é marcada por homenagens a Eduardo Campos

Na data que marca um mês da morte do ex-governador de Pernambuco e ex-presidenciável Eduardo Campos (PSB), familiares, amigos, admiradores e correligionários se reuniram, no fim da tarde deste sábado (13), em uma missa em homenagem ao socialista, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Casa Forte. O ex-governador faleceu vítima de grave acidente aéreo em Santos (SP).
Renata Campos, ex-primeira-dama do Estado, esteve acompanhada todo o tempo pelos cinco filhos do casal – Maria Eduarda, João, Pedro, José e Miguel –; pela mãe de Campos, Ana Arraes; pelo irmão do ex-governador, Antônio Campos.
Assim como os familiares, muitos na igreja vestiam branco, cor que o ex-governador sempre trajava. Além do branco, houve quem vestisse camisas com a frase ‘Não vamos desistir do Brasil’ e adesivos de Marina Silva, candidata do PSB à Presidência, e Eduardo Campos.
Entre as figuras políticas, o governador do Estado, João Lyra Neto (PSB), que chegou com atraso; o prefeito Geraldo Julio (PSB); o candidato da Frente Popular ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), que também chegou quando a missa já havia começado; além do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Guilherme Uchoa (PDT), deputados e ex-secretários estaduais. A igreja estava lotada, inclusive com muitos presentes assistindo ao ato de pé. O presidente do Grupo EQM, Eduardo de Queiroz Monteiro, foi prestar solidariedade à família, ao lado da esposa, Cláudia Portela.
Durante a missa, João, Pedro e José fizeram as leituras. Coube à filha Maria Eduarda, em nome da família, ler uma mensagem que havia sido publicada mais cedo no perfil oficial do ex-governador no Facebook. Neste momento, toda a família estava reunida para acompanhar a leitura, num dos momentos mais emocionantes da celebração. Ao terminar de ler o texto, visivelmente emocionada, ela foi bastante aplaudida pelos presentes e os familiares se abraçaram.
A missa foi celebrada pelo pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, padre Edwaldo, e pelo bispo emérito de Palmares, Dom Genival. Coube aos religiosos dar o tom político à ocasião.
Dom Genival falou sobre a importância do ‘homem público”. “Por sua natureza, a política percorre um caminho necessário ao bem comum”, disse. “Eduardo Campos seguiu uma vocação que o tornou um homem público. É bom que os homens e mulheres que já exercem e os que buscam o exercício do poder, pela via do voto, tenham clareza sobre a natureza do que é público”, continuou.
“A morte do ex-governador Eduardo Campos aconteceu em pleno processo eleitoral. As causas do acidente, ainda não totalmente esclarecidas ou pelo menos divulgadas, interromperam sua carreira política”, afirmou ele, que ainda lembrou os resultados do Ideb e o programa Mãe Coruja, comandado pela ex-primeira-dama Renata Campos.
Também na homilia, Padre Edwaldo pediu que se votasse com consciência e criticou a compra de votos. “Quem se oferece para comprar seu voto não presta. Quem vende seu voto não presta. Voto não se vende, não se compra”, declarou o religioso, sendo aplaudido. Ele ainda pediu que “entre os melhores, escolha o melhor”. (Blog da Folha)

Nenhum comentário: